Duna Dueto

Filhos da mata

ISBN 85-87306-03-0
Ano: 2000
Número de páginas: 32
Formato: 21 x 27 cm
Peso: 125g

R$ 33,00

 

Autor: HILTON MERCADANTE
Ilustrador: HILTON MERCADANTE

Treze figuras são apresentadas no livro Filhos da mata, de Hilton Mercadante. São elas: Caipora, Pé-de-Garrafa, Saci, Mapinguari, Curupira, Cobra-Grande, Caboclo-d’Água, Boitatá, Mãe-do-Ouro, Lobisomem, Cuca, Tibarané e Nicácia. Algumas podem ser chamadas de duendes, elementais, fadas, e outras de visagens, assombrações, fantasmas. Isto pouco importa; o que conta realmente é que são seres totalmente brasileiros, que fazem parte de nossa cultura há muito tempo. Alguns são já conhecidíssimos, como o Saci e o Curupira, e outros estão praticamente sendo apresentados, já que estavam meio esquecidos, como o Pé-de-Garrafa e o Caboclo-d’Água.

Escrever e ilustrar esse livro foi uma “reação” à onda “Eu acredito em duende”, que mostra os duendes como homenzinhos orelhudos de traços nórdicos, trajados de lã da cabeça aos pés. Essa imagem realmente não combina com as nossas matas tropicais e com o nosso imaginário genuíno. Alguns de nossos duendes são gozadores, andam nus ou quase, têm nomes em tupi ou nheengatu, como Caipora, Boitatá, Curupira, e suas formas e seu comportamento acompanham a riqueza da nossa flora.

As assombrações, por sua vez, nada devem às mais terríveis criadas no cinema e na literatura. Algumas são improváveis, como a Nicácia, perdida no sertão do século XIX, e outras são universais, como o Lobisomem.

O livro, ricamente ilustrado em cores, dá uma amostra de nossos seres fantásticos protetores e assustadores e cumpre o importante papel de reaproximar a criança desse universo mágico imenso e mal explorado, que faz parte de um Brasil rural, caboclo, sempre relegado a segundo plano.

Livro indicado para 1º a 6º ano do Ensino Fundamental para leitura durante o ano e, especialmente, para trabalhar folclore e cultura popular brasileira. Possibilita ampliar o conhecimento de mundo, estimular discussões e reflexões sobre preservação do meio ambiente e a valorização da cultura popular brasileira, que pode ser trabalhada de forma transdisciplinar.

Veja uma página do livro:

Navegação: Filhos da mata